quarta-feira, 1 de junho de 2011

AMOR PROIBIDO

Amor proibido é talvez
A pior forma de amar.

Sem ao menos esperar
Tu  entraste na minha
Com a minha  licença  e
Meu coração vazio ocupaste.

Nunca poderia imaginar
Que com tanto carinho
Iria  começar a te amar.
E o amor chegou de levinho
E me fez sonhar
Que amar ainda seria possível.

Sonho beijar-te e devorar-te.
São beijos emocionantes
Em pensamento trocados.
Caricias de amor
Sentidas  em silêncio,
No meu quarto vazio.

Fecho os olhos e vejo
O teu olhar profundo
Meigo, penetrante e sedutor
Todo o meu corpo estremece
Toda a minha alma floresce
Já não sei mais o que fazer.

Será que  ainda existe
Uma forma de deixar de te amar?
O  amor incendiou a minha vida.
Quero e não quero
Esquecer-te mesmo que  sejas
Um amor proibido ...


A.C.

sexta-feira, 27 de maio de 2011

SER ELEGANTE É...

1.  Nunca ter a necessidade de destruir a reputação dos outros para edificar a sua. 
2.  Ter consideração pelos outros.
3.  Manter a dignidade própria.
4.  Aceitar e respeitar a simplicidade das pessoas.
5.  Reconhecer os seus erros, aceitar as suas consequências e aprender à custa deles...
6.  Nunca utilizar pretextos para justificar uma atitude.
7.  Ter a convição da sua própria  capacidade de encarar a vida, de forma coerente
8.  Nunca ser vítima dos seus próprios pânicos.
9.  Saber compreender as limitações de cada ser humano  e ajudá-los a superar as suas limitações
10. Saber perdoar, com convicção.
11.  Ser verdadeiro consigo próprio aceitando as suas limitações
12. Não é uma fase na vida, mas sim uma forma de estar na vida.

A.C

segunda-feira, 23 de maio de 2011

SE...

Se eu fosse um mês seria- DEZEMBRO
Se eu fosse um dia da semana seria-SÁBADO
Se eu fosse um número seria-7
Se eu fosse um planeta seria- VÉNUS
Se eu fosse um líquido seria -ÁGUA
Se eu fosse uma pedra seria - MÁRMORE ROSA
Se eu fosse um metal seria - PRATA
Se eu fosse uma árvore seria - AMENDOEIRA
Se eu fosse uma fruta seria - MORANGO
Se eu fosse uma flor seria - ROSA
Se eu fosse um clima seria - MEDITERRANICO
Se eu fosse uma cor seria - VERMELHA
Se eu fosse um perfume seria - CHANEL N.º 5
Se eu fosse um sentimento seria - AMOR
Se eu fosse um filme seria- E TUDO O VENTO LEVOU
Se eu fosse um lugar seria - LISBOA
Se eu fosse um gosto seria - CHOCOLATE
Se eu fosse um cheiro seria - LAVANDA
Se eu fosse um verbo seria - CONVIVER
Se eu fosse uma parte do corpo seria - OLHOS
Se eu fosse uma expressão seria - SORRISO
Se eu fosse um filme seria - DRAMÁTICO
Se eu fosse uma estação seria - PRIMAVERA OU OUTONO
Se eu fosse uma frase seria - EU QUERO VIVER DE FORMA  FELIZ!
A.C.

terça-feira, 17 de maio de 2011

VIDA E MORTE

A morte vem surrateiramente .
É ela que  nos livra desta vil existência.
Sofrimento para quem fica?  Talvez...
Mas  grande alivio para quem vai.
A morte  é um manto escuro que se fecha,
tal, como cortina do palco da vida.
O último  espétaculo  da vida acabou.
A morte a levou para sempre.
Escreveu-se a última página do capítulo,
E encerra-se para sempre o livro da vida.
Finalmente se encontra
O repouso eterno do guerreiro

quinta-feira, 12 de maio de 2011

MOMENTOS DE REFLEXÃO



Quem não sentiu ainda momentos de solidão?
Eu estou num desses momentos…
Dias e dias sempre iguais, sozinha, no meio de quatro paredes, voluntariamente.
Não me sinto com disposição para ouvir vozes irritantes e em contínuo sussurro  de lástimas e lamúrias .
Não, já não tenho paciência para isso… Estou cansada!
Aturar pessoas que durante uns dias estão em perfeita euforia, não ligando a ninguém e fazendo-se superior a tudo e a todos e, noutros dias em que pretendem chamar a atenção  de quem está mais próximo, para problemas que elas próprias criam, passando logo de seguida para momentos  de grandeza, junto de outras pessoas diferentes, não é para mim.
Estou farta disto. Não é vida.
Prefiro estar só com os meus momentos de reflexão.
Estar só, com um livro para ler, não é estar em solidão.
É estar acompanhada, muito bem acompanhada.
Haverá melhor companhia, que um bom livro para ler?
Para mim um bom livro vale mais do que certas pessoas.
Preciso de pessoas bem diferentes, com ideias convictas, bons temas de conversa, com alguma alegria, ponderação e que mostrem verdadeiramente como  e o que são.
  

A.C.

quarta-feira, 4 de maio de 2011

A meu sobrinho Miguel Alexandre Machado




Maio de dois mil e dez, dia 4
Iniciou o seu percurso na vida
Grandiosa e marcante, certamente
Um bebé bonito e fofinho
E de belos olhos azuis
Lindos cabelos castanhos alourados


Aconchegando-se a sua mãe
Logo procura seu seio
E o encontra como se fora
Xícara de leite materno.
A sua carinha é redonda e seu
Nariz pequeninito
Dedos finos, mãos delicadas
Riso  singelo e infantil
Encanto de toda a família.


Me lembro hoje, dia do seu 1º
Aniversário, o seu ser
Cheio de amor e afecto
Humilde e indefeso.
Apenas nasceu há 1 ano e vou pedindo a
Deus  que acompanhe sempre
O  nosso pequeno Nenuco, o nosso Miguelito.




A.C.
4 de Maio de 2011

domingo, 1 de maio de 2011

Meninos da rua

Oi, oi, olhem para mim.
Não me vêem , não?
Ou não me querem ver ?
Estou sujo, mal vestido, não é?...
Pois sou  um menino da rua,
Que não tem casa , nem família
Não sei quem é meu pai,
Nem minha mãe.
Nunca os conheci,
Morreram quando era pequenino.
Cresci na rua, vivo na rua.
Encontro uma nova família,
Em cada dia que passa.
Durmo sempre numa cama diferente,
Mas tenho que correr
Senão durmo ao relento.
Chamam-me puto, gaiato,
Corrécio. gatuno, vagabundo.
Sou escorraçado, por quem passa.
Vivo na rua, uma prisão aberta.
Sem ninguém...que me defenda,
Que me proteja,
Que me dê carinho
 Que me ame...
Invejo os pássaros da rua
Que voam em liberdade.
Pelo menos têm  um ninho
Aconchegado, bem quentinho.
Não lhes falta pai e mãe,
Têm comida e muito carinho.
Todos falam  dos direitos  das crianças…
Mas, de quais crianças?
Quais direitos?
Para os meninos da rua não há direitos.
Os direitos, se existem
São para as crianças que têm tudo.
Os  Meninos da rua, não têm direitos.
Na melhor das hipóteses
Espera-os os reformatórios,
Onde não há carinho, nem amor.
Quantas vezes são ainda violentados
E por vezes abusados…
Não,  não me falem em Direitos da Criança.
Os meninos da rua não têm direito a nada.
Nem a sentirem o sorriso
Dos transeuntes que passam…
Já pararam para pensar
No que sentem os meninos da rua?...
Certamente que não!...

AC